Your browser does not support JavaScript! Câmara Municipal de Iguatu

Câmara discute acessibilidade com acadêmicos de Direito da FASC

11/05/2023
1.084

 

Na sessão da última quinta-feira, 11, os vereadores da Câmara Municipal de Iguatu – CMI receberam representantes da Faculdade São Francisco do Ceará – FASC que apresentaram Projeto de Extensão, com o tema voltado à ‘Acessibilidade e Planejamento Urbano’, da disciplina Teoria Geral do Estado.

O parlamento recebeu acadêmicos e professores do curso de Direito. Os alunos levantaram dados e registros feitos ao longo do semestre sobre a problemática que é a falta de acessibilidade para aqueles que necessitam do serviço. “O projeto de extensão tem como o foco a elaboração de políticas públicas locais que viabilizem a conexão entre os pilares da pesquisa e ensino. O futuro de Iguatu passa pela formação desses alunos. O intuito da nossa ida à Câmara dos Vereadores é para trazer luz ao que vem acontecendo e mostrar o quanto o ensino superior na cidade está engajado na melhoria da sociedade iguatuense”, disse a Dra. Ana Lídia Omena, professora responsável pelo projeto.

Roberto Filho, acadêmico do 1º semestre do curso, trouxe a percepção de situação que confronta direitos e evidenciam a falta de planejamento. “Efetivar a acessibilidade na cidade é torná-la inclusiva para todos. Em equipamentos e prédios mais antigos percebemos a falta de sinalização, falta de padronização de calçadas, estrutura e precariedade no saneamento. Percebemos que é de fundamental importância a aplicação de políticas nesse aspecto”, disse.

Conforme Marconi Filho (PDT), a ida da comunidade acadêmica pode servir de inspiração aos representantes. “É uma realidade que não só acomete Iguatu. É um tema que não foge a realidade da atual gestão, que inicia uma sequência de investimentos voltadas à área de saneamento e acessibilidade. O primeiro ponto da cidade a receber essa ação é a Rua Bevenuto Mendonça que se transformará em uma avenida duplicada com espaços para ciclo-faixas”.

Projetos

Com sessões extraordinárias o parlamento votou em regime de urgência dois projetos. Entre as pautas esteve a mensagem do Executivo que altera a lei que dispõe sobre a instituição, organização, atribuições e funcionamento do Conselho Municipal de Política Cultural, atendendo a novas nomenclaturas impostas pela esfera federal. Também foi aprovada a mensagem da mesa diretora que prevê a atualização da tabela do funcionalismo da casa legislativa com base no salário mínimo, os vencimentos dos cargos de confiança e assessores parlamentares.

Nós usamos cookies para melhorar sua experiência. Ao usar este site e/ou continuar navegando, você concorda com o uso de cookies de acordo com nossa Política de Privacidade e Política de Cookies.