Eliane Braz toma posse como nova presidente da Câmara

Com a presença do prefeito de Iguatu, Ednaldo Lavor (PDT), secretariado e familiares, tomou posse em sessão solene na terça-feira, 01, a nova mesa diretora da Câmara Municipal de Iguatu (CMI) para o biênio 2019/2020. A presidência ficará a cargo da primeira dama Eliane Braz (PTB). O momento foi marcado por declarações efusivas por parte do gestor.

Apresentando um resumo de sua trajetória política, Ednaldo foi o último a falar e discursou de forma exaltada, além de tecer críticas contundentes aos dois grupos políticos tradicionais, sob a liderança dos ex-prefeitos Agenor Neto e Marcelo Sobreira. “Busquei participar de grupos que lideram a política local, mas vi que só têm interesse próprio e sempre dizem que só fui eleito porque me apoiaram. Enfrentaram o matuto do Alencar, unidos ou não tiveram que nos engolir”, frisou. “Vou para a reeleição de coração puro, tenho gratidão pelo povo, vereadores, e vamos seguir no caminho da prosperidade”, adiantou Ednaldo, afirmando ainda propor um choque de gestão em 100 dias com restruturação do corpo administrativo.

Gestão

Prometendo uma gestão democrática e aberta à participação popular, além do apoio à administração municipal, a vereadora Eliane, esposa do prefeito Ednaldo Lavor, assumiu a presidência da Câmara. “Com democracia vamos conduzir a casa do povo da melhor maneira. Aceitando sugestões, críticas, estaremos abertos à sociedade de Iguatu”, disse Eliane que assume a presidência junto de vereador Rubenildo Cadeira (PRB) como vice-presidente e Eudisvan da Silva (PHS) secretário geral.

Os vereadores assim como o prefeito também se queixaram de perseguições por parte de emissoras de rádio local. Rubenildo afirmou que durante o processo eleitoral interno foram acusados de serem venais. “Tratam como se todos nós fôssemos vendidos”, disse Cadeira.

Perfil

A vereadora Eliane Braz (PTB), 42, primeira dama do município, tornou-se a terceira mulher a ocupar a presidência do legislativo iguatuense (Eridan Diniz e Rosana Costa também assumiram o posto). A única mulher eleita para essa legislatura está no segundo mandato e volta da licença que tirou para assumir a Secretaria de Assistência Social.